Seja bem-vindo
Taquarussu,23/02/2024

  • A +
  • A -

Gaza: menina palestina de 6 anos é encontrada morta 12 dias depois de gravação pedindo ajuda

g1.globo.com
Gaza: menina palestina de 6 anos é encontrada morta 12 dias depois de gravação pedindo ajuda
Publicidade

Hind Rajab ficou na linha por três horas com os atendentes do Crescente Vermelho Palestino, que tentaram acalmá-la enquanto enviavam uma ambulância. 'Venham me pegar', disse ela, em gravação de áudio. Hind Rajab, uma menina palestina de 6 anos que implorou às equipes de resgate de Gaza que enviassem ajuda depois de ficar encurralada por fogo militar israelense, foi encontrada morta por parentes neste sábado (10). A informação é da agência Reuters.
O corpo foi encontrado junto com os de cinco familiares. A história ganhou notoriedade pois a menina ligou para o atendimento do Crescente Vermelho Palestino para pedir ajuda, mesmo após a morte dos parentes.
SAIBA MAIS
Gravação revela pedido de ajuda desesperado de palestina de 6 anos
Hind ficou na linha por três horas com os atendentes, que tentaram acalmá-la enquanto enviavam uma ambulância. "Venham me pegar", disse ela, em gravação de áudio. "Estou com tanto medo, por favor, venha."
"A ocupação teve como alvo deliberado a tripulação do Crescente Vermelho, apesar da coordenação prévia para permitir que a ambulância chegasse ao local para resgatar Hind", afirmou o Crescente Vermelho num comunicado.
A entidade acusa Israel de mirar deliberadamente na ambulância que enviou para resgatar Hind Rajab depois de ela ter passado horas ao telefone com despachantes rodeada pelo som de tiros. A Reuters procurou as forças militares de Israel para comentário, mas não recebeu resposta.
Os corpos de Hind Rajab, de seu tio, de sua tia e de seus três primos foram encontrados em um carro, no subúrbio de Tel al-Hawa, na cidade de Gaza. Familiares que participaram do reconhecimento relatam que o carro estava cheio de buracos de bala.
Segundo as autoridades de saúde de Gaza, o conflitou já deixou 28 mil mortos, enquanto israelenses avançam pelo território palestino.
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ordenou nesta sexta-feira (9) que seu Exército prepare um plano de retirada da população civil da cidade de Rafah, que faz fronteira com a Faixa de Gaza.
Rafah é considerada o último refúgio de cerca de 1,5 milhão de pessoas — quase toda a população da Faixa de Gaza — que, desde o início da guerra entre Israel e o Hamas, deixaram o norte, o centro e outras cidades do sul do território palestino por conta de bombardeios e ações por terra do Exército de Israel.
Nesta sexta, Netanyahu anunciou que pretende ocupar toda a cidade temporariamente e que, por isso, pediu o plano aos militares. Segundo o premiê israelense, Rafah é também o último bastião do Hamas e, portanto, o último front de batalha para completar sua guerra contra o grupo terrorista.
Israel declarou que rejeita a proposta de cessar-fogo apresentada pelo Hamas -- qualificada como "delirante" pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.