Informativo Cidade - O Portal de Notícias de Taquarussu - MS

MENU
Logo
Quinta, 24 de junho de 2021

Educação

Protocolo de Volta às Aulas da Rede Estadual prevê ensino híbrido em 2021

Documento feito por 21 instituições contém série de estratégias e diretrizes para retorno seguro às aulas das redes de ensino

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Elaborado por uma comissão composta por 21 instituições, o Protocolo de Volta às Aulas prevê o Ensino Híbrido em Mato Grosso do Sul a partir do próximo ano, com aulas a distância e presenciais, seguindo protocolos de biossegurança. O documento foi lançado nesta segunda-feira (23) em uma live com a participação do governador Reinaldo Azambuja.

Para o retorno das atividades presenciais, foi definido um protocolo de biossegurança com aferição de temperatura, medidas de higienização constante, colocação de dispensers com álcool em gel, cartazes informativos, horários diferenciados para entrada e saída dos alunos, turmas divididas respeitando distância mínima de 1,5 metro por estudante e uso de bebedouros apenas para encher garrafas.
 
Cb image default
Imagem: Chico Ribeiro
O governador defendeu ainda a “despolitização” de uma possível vacinação contra a Covid-19. Para ele, não interessa de onde vem o produto, desde que ele tenha a eficácia e a segurança testada e aprovada. Reinaldo Azambuja disse ainda que a responsabilidade da vacinação é do Ministério da Saúde, pelo Programa Nacional de Imunizações.

De acordo com a secretária de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, os materiais escolares já foram adquiridos e cada aluno receberá três máscaras reutilizáveis. Já o ensino a distância será possível graças a parceria com o Google. “A Comissão Provisória de Volta às Aulas foi primordial na discussão de como se dará em 2021 o processo de retorno dos estudantes às escolas. A pandemia trouxe desafios enormes, mas propiciou que tivéssemos momentos, em conjunto, para refletir, discutir e decidir diferentes encaminhamentos. Essa comissão foi importante para nós, da Educação, porque apresentou alternativas sob diferentes olhares”, afirmou Cecília.

O protocolo criado pela comissão contou com o auxílio do Articule, que realizou o mesmo trabalho em Rondônia e Goiás. A presidente-executiva do instituto, Alessandra Gotti, afirmou que a comissão agiu como uma força-tarefa em um ambiente plural, colaborativo e de segurança jurídica. A comissão contou ainda com a participação de Assembleia Legislativa, Associação das Instituições Particulares de Ensino de Campo Grande, Assomasul, Crie/MS, Consep, CEE/MS, DPGE, Fetems, MPC-MS, MPMS, PGE, Segov, SED, SES, Sinepe, Sintrae, Procon, TCE, TJ, Undime e Uncme. O secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, também participou do evento. Veja os critérios definidos no Protocolo Volta às Aulas.

Fonte/Créditos: Nova News

Comentários: